×

Bulgária expulsa um cidadão russo e dois de Belarus sob acusação de espionagem

Bulgária expulsa um cidadão russo e dois de Belarus sob acusação de espionagem

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
Autoridades da Bulgária anunciaram nesta quinta-feira (21) que expulsaram do país um cidadão da Rússia e dois de Belarus sob a acusação de espionagem. De acordo com as informações, os três indivíduos estavam repassando informações sensíveis sobre o país para autoridades russas em Moscou.
Os cidadãos que foram expulsos estavam trabalhando também para “influenciar propositalmente os processos sociais e políticos na Bulgária em favor dos interesses geopolíticos russos”, afirma um comunicado divulgado nesta quinta pela agência de segurança nacional da Bulgária.
Ainda segundo o comunicado, os três indivíduos “foram privados do direito à moradia e impedidos de entrar na Bulgária por um período de cinco anos”.
O comunicado não deu mais detalhes sobre quem eram essas pessoas.
Por meio de uma publicação em sua conta oficial no Facebook, a embaixada da Rússia na Bulgária, que fica localizada na capital do país, Sófia, disse que os indivíduos expulsos faziam parte da Igreja Ortodoxa russa.
A embaixada reagiu às expulsões, classificando a medida das autoridades búlgaras como “uma ação rude e flagrante”. Eles confirmaram que o cidadão russo expulso fazia parte do clero da Igreja Ortodoxa da Rússia em Sófia e os dois cidadãos de Belarus eram ministros da Igreja de São Nicolau de Mira.
“Estamos indignados com o fato e o formato da decisão tomada pelo lado búlgaro”, afirmou a embaixada na publicação.
“É óbvio que a liderança búlgara atual se propôs a destruir não apenas os laços sócio-políticos, culturais e humanitários entre nossos estados, mas também a romper as relações entre as irmãs Igrejas Ortodoxas Russa e Búlgara, e a amargar os povos russo e búlgaro um contra o outro”, diz a publicação da embaixada russa no Facebook. Eles ainda afirmaram que “a responsabilidade pela rápida degradação da cooperação bilateral [entre Rússia e Bulgária] cabe inteiramente ao lado búlgaro”.
De acordo com informações da emissora americana ABC News, a Bulgária já havia expulsado no ano passado 70 funcionários da diplomacia russa. Uma medida que, segundo a informação, prejudicou gravemente os laços diplomáticos entre os dois países, que eram aliados próximos durante a época da União Soviética.
A Bulgária atualmente é um país membro da OTAN e da União Europeia (UE). A expulsão dos 70 diplomatas em 2022 foi a maior na história do país.
Os búlgaros também têm apoiado fortemente as sanções aplicadas por países do Ocidente contra a Rússia e criticado a invasão do país de Vladimir Putin à Ucrânia.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source

Publicar comentário