×

Sem citar Cid, Bolsonaro diz que jamais compactuou com projeto que não tivesse respaldo em lei

Sem citar Cid, Bolsonaro diz que jamais compactuou com projeto que não tivesse respaldo em lei

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quinta-feira (21) que “jamais compactuou” com qualquer movimento ou projeto que não tivesse respaldo em lei e prometeu agir contra “manifestações caluniosas”. A declaração foi feita por meio de nota em referência a um “suposto conteúdo de uma colaboração premiada”, mas sem citar o ex-ajudante de ordens, o tenente-coronel Mauro Cid.
Mais cedo, supostos trechos da delação de Cid foram divulgados pelo jornal O Globo e pelo portal UOL. O ex-assessor de Bolsonaro teria dito à Polícia Federal que presenciou reuniões em que Bolsonaro e militares trataram de um golpe militar. “Durante todo o seu governo jamais compactuou com qualquer movimento ou projeto que não tivesse respaldo em lei, ou seja, sempre jogou dentro das quatro linhas da Constituição Federal”, afirmou a defesa do ex-presidente.
Além disso, os advogados ressaltam que Bolsonaro “jamais tomou qualquer atitude que afrontasse os limites e garantias estabelecidas pela Constituição e, via de efeito, o Estado Democrático de Direito”. Além disso, a defesa reforçou que irá adotar medidas judiciais contra “qualquer manifestação caluniosa”. O documento é assinado pelos advogados Paulo Amador da Cunha Bueno, Daniel Bettamio Tesser e Fabio Wajngarten.
“Reitera que adotará as medidas judiciais cabíveis contra toda e qualquer manifestação caluniosa, que porventura extrapolem o conteúdo de uma colaboração que corre em segredo de Justiça, e que a defesa sequer ainda teve acesso”, diz o comunicado.
“A defesa do Presidente Jair Bolsonaro, diante das notícias veiculadas pela mídia na data de hoje sobre o suposto conteúdo de uma colaboração premiada, esclarece que:
1 – Durante todo o seu governo jamais compactuou com qualquer movimento ou projeto que não tivesse respaldo em lei, ou seja, sempre jogou dentro das quatro linhas da Constituição Federal;
2 – Jamais tomou qualquer atitude que afrontasse os limites e garantias estabelecidas pela Constituição e, via de efeito, o Estado Democrático de Direito.
3 – Reitera que adotará as medidas judiciais cabíveis contra toda e qualquer manifestação caluniosa, que porventura extrapolem o conteúdo de uma colaboração que corre em segredo de Justiça, e que a defesa sequer ainda teve acesso.”
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: G Bahia

Publicar comentário