×

Evo Morales anuncia candidatura à presidência em 2025 em meio a conflitos no partido

Evo Morales anuncia candidatura à presidência em 2025 em meio a conflitos no partido

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
O ex-presidente socialista Evo Morales anunciou neste domingo (24) sua candidatura às eleições presidenciais de 2025 na Bolívia. O anúncio ocorre em meio à divisão dentro do partido governista, o Movimento ao Socialismo (MAS).
“Eles me convenceram de que vou ser candidato, me obrigaram. Claro que as pessoas querem, mas estão me forçando. Tantos contra Evo: a direita, o governo, o império…”, disse Morales, que comandou o país entre 2006 e 2019, em seu programa na emissora de rádio local “Kawsachun Coca”.
O líder do MAS acrescentou que é alvo de uma “campanha suja”, uma vez que a oposição costuma chamá-lo de “traficante de drogas”, e o atual governo, do presidente Luis Arce e do vice-presidente David Choquehuanca, o nomeia “rei da cocaína”.
“Não vamos desistir e vamos estar nesta dura batalha democrática. Agora, para construir propostas, tenho uma reunião com empresários. Saúdo as propostas que chegam, devemos construir a agenda pós-bicentenário”, declarou Morales.
O ex-presidente também criticou Arce, que foi ministro da Economia durante o seu governo, afirmando que o mandatário não avançou “absolutamente nada” da agenda que havia sido definida, realizaram com 13 pilares visando o bicentenário do país.
Morales chegou a dizer que o governo de Arce tem um plano para “defenestrá-lo com processos políticos” e que querem “eliminá-lo” fisicamente.
O anúncio de Morales ocorre poucos dias antes da realização do congresso nacional do MAS, que ocorrerá entre 3 e 5 de outubro no trópico de Cochabamba, um de seus redutos políticos, que também tem sido foco de disputa entre os membros do partido governista.
Os aliados de Arce, chamados de “arcistas”, tentaram transferir o congresso para a cidade de El Alto, adjacente a La Paz, com o objetivo de renovar a liderança do partido, a começar pelo próprio Morales.
Já os chamados “evistas” alertaram que a reunião do MAS definirá a expulsão de Arce e Choquehuanca, a quem descrevem como “traidores”.
A direção do MAS, próxima de Morales, acusou o governo Arce neste sábado (23) de pressionar o Tribunal Supremo Eleitoral por meio de alguns dirigentes para tentar invalidar o congresso do partido.
As disputas internas no partido socialista começaram no final de 2022 com críticas à gestão do governo e denúncias de corrupção contra alguns ministros, enquanto diferentes setores do MAS proclamaram, separadamente, as candidaturas de Arce e Morales para as eleições de 2025.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: Gazeta do Povo

Publicar comentário