×

Campos Neto diz que tenta criar uma “relação de confiança” com o governo Lula

Campos Neto diz que tenta criar uma “relação de confiança” com o governo Lula

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
Após apresentar o relatório trimestral da inflação, nesta quinta-feira (28), o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, evitou comentar sobre a reunião com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ele se reuniu pela primeira vez, na noite desta quarta (27), com o presidente petista, no Palácio do Planalto, mas saiu sem dar explicações ao final da reunião.
“Na reunião, estávamos eu, o presidente Lula e o ministro Haddad, somente. Eu estou tentando construir uma relação de confiança, o que nós combinamos é que eu não comentaria nada sobre a reunião. O ministro Haddad fez alguns comentários e eu concordo integralmente com os comentários dele”, disse Campos Neto.
Após a reunião de ontem, Haddad foi o único que comentou brevemente sobre o encontro entre Campos Neto e Lula. O ministro reforçou que não foram conversados “tópicos específicos”. “O presidente deixou claro o respeito que tem pela instituição. Reciprocidade foi muito boa da parte do Roberto. Conversa foi de alto nível. Esse encontro ia acontecer, e eu ajudo no que eu posso”, completou o ministro.
Campos Neto vinha sendo alvo constante de críticas de Lula e já foi chamado pelo presidente de “aquele sujeito”, “tinhoso”, “teimoso” e “indicado de Bolsonaro”, por ter assumido o cargo por indicação ainda durante a gestão do ex-presidente. Além do petista, outros membros do governo, aliados e líderes do PT também já teceram reclamações incisivas a ele.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte Gazeta do Povo

Publicar comentário