×

Estufa e tecnologia garantem maior produtividade em plantação de tomate

Estufa e tecnologia garantem maior produtividade em plantação de tomate


Técnicas específicas de plantio, usar substratos como adubo natural e dispensar o uso de agentes químicos são alguns cuidados praticados em cultivo. Estufa e tecnologia garantem maior produtividade em plantação de tomate
Reprodução/TV TEM
Corredores verdes repletos de pontinhos vermelhos nas estufas podem ser a realização de um sonho para alguns agricultores. Há casos em que eles saem da capital para que possam realizar o cultivo de tomates grape no interior.
Em uma produção que fica em Jundiaí (SP), a técnica de plantio é em carrossel. Dessa maneira, o agricultor consegue explorar a planta ao máximo. São 620 pés e cada um rende 60 quilos a cada quatro meses. O quilo a granel é vendido para a cidade a R$ 6,50.
Para evitar pragas, o proprietário parou com o uso de inseticida biológico e instalou armadilhas com cola e feromônio, um tipo de hormônio que tem a função de atrair a traça do tomateiro. Desde que começou a utilizar, não teve mais problemas. Já para os fungos, os bacilos agem como defensivos. Não há uso de agentes químicos.
Veja a reportagem exibida no programa em 08/10/2023:
Estufa e tecnologia garantem maior produtividade em plantação de tomate
O emprego da tecnologia também faz muita diferença. A irrigação, com água de reuso coletada da chuva, é feita por sensores em cada um dos canteiros. Eles detectam a quantidade de água no solo, e liberam para a planta de acordo com a necessidade dela.
O substrato vem de uma produção de cogumelos vizinha. Lá seria descartado, mas na estufa é utilizado como adubo natural, cheio de nutrientes. O que é resíduo em um lugar vira “ouro” em outro.
Com todos esses cuidados, pensados para que o produto final tenha mais qualidade, a nova meta é ampliar o espaço e alcançar uma produtividade em torno de 70 quilos por planta.
VÍDEOS: reveja as reportagens do Nosso Campo
Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais
source
Fonte: G1

Publicar comentário