×

Voluntários criam “sala de guerra” para localizar reféns capturados pelo Hamas

Voluntários criam “sala de guerra” para localizar reféns capturados pelo Hamas

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
Especialistas em alta tecnologia se uniram em Israel nesta terça-feira (17), de forma voluntária, para criar uma “sala de guerra”, um grupo reunido com o objetivo de construir um plano de ação para rastrear desaparecidos após o ataque do Hamas no início do mês.
Para isso, centenas de profissionais israelenses deixaram temporariamente seus empregos para ajudar na localização e possível resgate das vítimas raptadas pelos terroristas.
Uma das líderes da iniciativa, Karine Nahon, afirmou que os voluntários atuam na análise de conteúdos publicados nas redes sociais pelo Hamas, tentando identificar as vítimas desaparecidas. As conclusões obtidas após essa verificação são repassadas às autoridades israelenses. “Estamos trabalhando contra o relógio”, afirmou Karine.
Os especialistas criaram um centro de comando improvisado em Tel Aviv, onde os voluntários utilizam inteligência artificial e reconhecimento facial e de voz para identificar os reféns. Alguns dos detalhes analisados por eles no reconhecimento são as roupas das vítimas e características reconhecíveis.
Nesta segunda feira (16), o Hamas divulgou um vídeo mostrando uma refém israelense, identificada como Maya Sham, de 21 anos, que foi sequestrada durante os ataques do último dia 7 enquanto deixava o festival de música eletrônica próximo da Faixa de Gaza.
Em comunicado público, o porta-voz das Brigadas Al Qasam, Abu Obeida, braço armado do grupo terrorista palestino Hamas, disse que há intenção dos terroristas de libertar os reféns estrangeiros de “diferentes nacionalidades” que estão sob sua custódia na Faixa de Gaza.
Obeida afirmou que os reféns estrangeiros estão sendo tratados de forma “diferente daqueles com nacionalidade israelense”.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: Gazeta do Povo

Publicar comentário