×

STF mantém multa de R$ 75 mil à coligação de Bolsonaro por impulsionar site contra Lula

STF mantém multa de R$ 75 mil à coligação de Bolsonaro por impulsionar site contra Lula

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu manter a multa de R$ 75 mil a Coligação pelo Bem do Brasil, do então candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL), pelo impulsionamento irregular de site que divulgava propaganda eleitoral negativa contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na eleição de 2022. Os ministros decidiram, por unanimidade, manter a multa fixada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
O julgamento do recurso ocorreu em uma sessão virtual finalizada nesta terça- feira (17). Acompanharam o entendimento do relator, Dias Toffoli, os ministros: André Mendonça, Edson Fachin, Gilmar Mendes e Nunes Marques. “As irregularidades apontadas pelo TSE foram a falta de indicação do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) do contratante e de alerta de que se tratava de propaganda eleitoral, além da ausência de comunicação prévia à Justiça Eleitoral do endereço eletrônico”, informou o STF, em nota.
Segundo a Corte eleitoral, o impulsionamento de conteúdo na internet somente é admitido para promover ou beneficiar candidatos ou seus partidos, sem a possibilidade de amplificação de alcance de propaganda crítica ou negativa contra adversários.
Com isso, a coligação de Bolsonaro foi multada em R$ 60 mil por violação das regras que tratam da divulgação de conteúdos durante as eleições; em R$ 5 mil por desrespeito às regras de propaganda eleitoral na internet; e em R$ 10 mil por descumprimento de decisão do TSE que havia proibido o impulsionamento e determinado à coligação que informasse o site como uma de suas páginas oficiais de campanha, de acordo com a Corte.
A defesa da coligação argumentou, entre outros pontos, que o site era apenas para reprodução de notícias jornalísticas, e não de conteúdo extraído de site reconhecido nos autos como oficial da campanha de Bolsonaro. Os advogados também consideraram que houve violações à liberdade de manifestação e de imprensa. O relator, ministro Dias Toffoli, já havia negado o recurso em uma decisão monocrática.
No entanto, a coligação apresentou um agravo regimental que foi levado a julgamento do colegiado. No julgamento, Toffoli manteve as conclusões de sua decisão individual e explicou que o agravo não pode ser acolhido, pois seria necessário o reexame de fatos e provas dos autos, o que é vedado “em recurso extraordinário pela Súmula 279 do STF”.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: G Bahia

Publicar comentário