×

Calor extremo é desfavorável para o plantio

Calor extremo é desfavorável para o plantio

Ou entre pelo seu:

Facebook ou Google

A atuação de uma intensa massa de ar quente no Brasil central, deve trazer mais um dia de condições extremas em áreas do Centro-Oeste. A previsão indica temperaturas acima dos 40°C em diversas estações e índices de umidade perto ou abaixo dos 20% nos horários mais críticos.

Este cenário vem trazendo um grande desafio para os produtores que estão semeando a soja nesta temporada de 2023/24. Uma vez que, além da temperatura do ar estar elevada, as temperaturas na superfície do solo passam dos 50°C, como indicado pelo monitoramento de satélites
Agora, em relação às instabilidades, elas até podem ocorrer, mas apresentando um comportamento de pancadas isoladas e passageiras. 
Num cenário oposto, setores da região Sul terão temperaturas amenas e as chuvas diminuem de intensidade.

Clique aqui e acesse AGROTEMPO
Região Norte
Apresentando um comportamento muito semelhante ao dos últimos dias, as chuvas na região norte devem se concentrar em áreas do oeste e norte. Mesmo assim, é esperado que essas chuvas apresentem uma grande irregularidade, tanto nos volumes quanto nas áreas. Já em setores do sul do Tocantins e Sul do Pará, a forte atuação de uma massa de ar quente traz temperaturas acima dos 40°C com índices de umidade perto ou abaixo dos 20%. 

Região Nordeste
O predomínio da massa de ar quente e seco, impede as condições de chuvas sobre a região. Além da temperatura do ar, prevista para perto dos 40°C em várias localidades, a forte incidência do aquecimento solar, deve resultar em temperaturas na superfície do solo acima dos 50°C no período da tarde. Condição que traz riscos às lavouras recém plantadas. Há condições de chuvas no sul da Bahia e no Sealba, mas com previsão de baixos volumes e grande irregularidade. 
Região Centro-Oeste
A intensa massa de ar quente vem castigando a região com temperaturas perto ou acima dos 40°C, que novamente devem ser registradas nesta sexta-feira. Áreas do norte do Mato Grosso do Sul até o norte de Mato Grosso e Goiás devem registrar temperaturas neste patamar. Setores com a maior presença do sol terão condições ainda mais severas, principalmente em relação à temperatura da superfície do solo que pode superar a casa dos 50°C. A umidade do ar também poderá atingir níveis críticos, perto ou abaixo dos 15%. Mesmo com toda essa condição de calor e tempo seco, algumas nuvens carregadas podem se formar sobre o Mato Grosso do Sul e Sul de Goiás, mas com previsão de chuvas extremamente irregulares.  

Região Sudeste
Áreas de instabilidade devem surgir no período da tarde, especialmente em áreas do norte de São Paulo e centrais de Minas Gerais, onde algumas projeções indicam até 30 mm no decorrer do dia. Não se descarta o registro de temporais isolados no interior paulista. Contudo, o grande destaque para a região será às temperaturas elevadas, em função da intensa massa de ar quente que atua no Brasil central. Os termômetros devem superar os 37°C em áreas do noroeste Paulista e Triângulo Mineiro. Já setores mais próximos ao litoral, devem registrar temperaturas mais amenas. 
Região Sul
A tendência desta sexta-feira é de redução nas chuvas. As instabilidades ainda devem ocorrer no período da madrugada em setores do noroeste do Rio Grande do Sul e oeste Catarinense, as projeções indicam intensidade fraca, mas não se descarta a ocorrência de algum temporal isolado. Áreas do sul gaúcho e norte do Paraná devem seguir com o tempo firme. Em relação às temperaturas, os termômetros seguem com previsão de marcas mais amenas para a época do ano, com exceção do noroeste do Paraná que deve ter uma tarde mais quente.

O material foi elaborado pelo metereologista, Gabriel Rodrigues com revisão de Aline Merladete
Estimado usuário.
Preencha o formulário abaixo para remeter a página.
O Portal do Conteúdo Agropecuário.

Aguarde….


Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.

source
Fonte: Agrolink

Publicar comentário