×

Ao menos 20 militares devem ser responsabilizados por furtos de armas em SP

Ao menos 20 militares devem ser responsabilizados por furtos de armas em SP

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
Ao menos 20 militares devem ser responsabilizados pelo furto de armas que aconteceu em São Paulo, informou o Exército — 21 metralhadores antiaéreas foram subtraídas do Arsenal de Guerra em Barueri. A ação está sendo conduzida pelo Comando Militar do Sudeste, oficiais, sargentos, cabos e soldados devem responder pelo roubo na esfera administrativa.
“Brevemente, militares serão submetidos à prisão cautelar com autorização da Justiça. Isso deve ocorrer em breve com os indícios que nós temos”, informou o general Maurício Vieira Gama, chefe do Estado-Maior do Sudeste, durante coletiva de imprensa neste domingo (22).
Ainda de acordo com o general, os 20 oficiais vão responder pelo crime por terem “sido negligentes, mas não necessariamente cometeram crime”. A participação dos oficiais no crime, contudo, não foi descartada pelo general. Além disso, mais pessoas ainda podem ser indiciadas.
“Nós tínhamos em torno de 20 militares, mas à medida que isso está sendo revisto e apurado, outros militares podem entrar nessa relação de apuração na esfera disciplinar”, pontuou Gama. A penalidade para a transgressão cometida em tal esfera pode ser de até 30 dias de prisão disciplinar. Após esta fase das investigações, os envolvidos deverão responder a processos criminais na Justiça Militar.
No último dia 10, durante uma inspeção, o Exército notou a ausência de 21 metralhadoras de seu arsenal, quando o crime foi constatado. As informações foram reveladas pelo Metrópoles, no último dia 13. Foram roubadas metralhadoras calibre .50 e calibre 7,62.
De acordo com informações reveladas em coletiva de imprrensa neste domingo, o furto é tido como maior da história do Exército. Até o momento, 17 armamentos já foram recuperados e as forças armadas ainda atuam na recuperação das demais.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: G Bahia

Publicar comentário