×

Avaliação negativa do STF cresceu 7% desde fevereiro, aponta pesquisa

Avaliação negativa do STF cresceu 7% desde fevereiro, aponta pesquisa

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
De acordo com pesquisa da Genial/Quaest, a avaliação negativa do Supremo Tribunal Federal (STF) saiu de 29%, em fevereiro, para 36%. Os dados foram obtidos pela revista Veja a partir de um levantamento divulgado esta semana.
Ainda, de acordo com o recorte, a parcela da população que avalia positivamente o STF era de 23% em fevereiro. Agora, está em 17%. A avaliação regular do Supremo se manteve no mesmo patamar do início do ano, que era de 36%.
O Nordeste é a região do país onde o Supremo detém a melhor avaliação, com 20% de popularidade. Nas outras regiões, a Corte é desaprovada por 38% no Sudeste; 41% no Sul e; 36% no Centro-Oeste e na região Norte.
A pesquisa da qual a Veja obteve o recorte também apontou crescimento da desaprovação dos brasileiros em relação ao trabalho desempenhado pelo presidente Lula (PT) até o momento.
Para 42% dos entrevistados, o petista não está fazendo um bom trabalho. O resultado representa um crescimento no índice de desaprovação de 7% em relação à pesquisa anterior divulgada no mês de agosto.
Em paralelo, a aprovação do trabalho do petista apresentou queda de 6%, saindo de 60%, em agosto, para 54% este mês.
Já a avaliação negativa do governo voltou ao patamar dos 29%. O percentual havia sido registrado somente no mês de abril e logo depois entrou em queda.
O crescimento da avaliação negativa foi impulsionado, principalmente, pela queda no otimismo em relação à economia.
Os entrevistadores ouviram pessoalmente 2 mil eleitores com 16 anos, de 19 a 22 de outubro. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: G Bahia

Publicar comentário