×

Israel chama ONU de “organização falida e moralmente corrupta”

Israel chama ONU de “organização falida e moralmente corrupta”

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
O embaixador de Israel na Organização das Nações Unidas (ONU), Gilad Erdan, renovou as críticas de seu país direcionadas contra a entidade nesta quinta-feira (26), classificando-a como uma “organização falida e moralmente corrupta”. As declarações do embaixador ocorreram antes da sessão extraordinária da Assembleia Geral das Nações Unidas, onde uma resolução apresentada por países árabes busca propor o fim da guerra no Oriente Médio.
Em suas declarações, Erdan também afirmou que a ONU está sofrendo neste momento de uma “hemorragia de relevância, legitimidade e justificativa”, e pediu a demissão do secretário-geral da organização, António Guterres, acusando-o de “justificar os crimes do grupo Hamas e de gerar uma crise entre Israel e as agências da ONU”.
Durante seu discurso na Assembleia Geral, Erdan atacou a resolução árabe, que pede um cessar-fogo que permita o fim dos deslocamentos forçados em Gaza e a proteção dos civis no enclave palestino. Erdan classificou a resolução árabe como “absurda” e uma “vergonha para a inteligência” dos representantes presentes, alegando que ela não mencionava os crimes do Hamas.
Erdan dedicou a maior parte de seu discurso a descrever os ataques do Hamas contra o Estado de Israel, que deixou mais de 1,4 mil israelenses mortos e diversos reféns sob o controle dos terroristas em Gaza, no 7 de outubro, usando fotografias e vídeos como evidências. Ele alertou que um cessar-fogo neste momento permitiria ao grupo, que descreveu como jihadista e nazista, “se rearmar”.
O embaixador também disse que “a ONU tem sido complacente com o terror perpetrado em Gaza pelo Hamas” e advertiu que a organização está “favorecendo o grupo em detrimento de Israel”.
Erdan concluiu seu discurso afirmando que, apesar dos eventos trágicos, o “Hamas conta com o apoio da ONU” e que a organização está trabalhando para “impedir Israel de se defender”. (Com Agência EFE)
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: Gazeta do Povo

Publicar comentário