×

Israel quer modificar lei antiterrorista para poder sancionar pessoas físicas

Israel quer modificar lei antiterrorista para poder sancionar pessoas físicas

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
O governo de Israel deu luz verde neste domingo (29) para a alteração da lei de antiterrorismo de 2016, buscando uma aplicação mais abrangente da medida. Se aprovada no Parlamento israelense, a alteração permitirá que o governo considere também pessoas físicas como terroristas, não se limitando apenas a organizações, como previsto anteriormente.
A mudança é fundamentada na necessidade de impedir o financiamento de indivíduos atuantes em diversas organizações, especialmente aqueles conectados, por diferentes meios, ao grupo terrorista palestino Hamas, que foi responsável pelos ataques contra Israel no dia 7 de outubro, resultando na morte de 1,4 mil pessoas e no sequestro de mais de 200.
O governo israelense afirmou que a alteração “aprimorará as medidas administrativas contra indivíduos acusados de terrorismo, mantendo a pressão sobre organizações suspeitas da mesma infração”. Além disso, a alteração vai abordar questões relacionadas ao recrutamento, financiamento e transferência de fundos para atividades terroristas.
O Escritório Nacional de Combate ao Financiamento do Terrorismo do Ministério da Defesa de Israel atualmente impõe sanções financeiras contra organizações terroristas, considerando este instrumento eficaz na luta contra o terrorismo.
Para entrar em vigor, a emenda precisa ser aprovada no Parlamento de Israel. Em razão do estado de guerra com o Hamas, Israel busca um procedimento de emergência para acelerar a aprovação da alteração da lei, esperando que isso ocorra em questão de dias ou semanas, ao invés de meses, como seria de praxe, segundo fontes jurídicas consultadas pela Agência EFE.
A expectativa é que a lei seja aprovada no Parlamento, uma vez que a coalizão governamental detém atualmente uma maioria de 64 assentos em um total de 120. (Com Agência EFE)
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: Gazeta do Povo

Publicar comentário