×

Estudante é alvo de acusações federais por ameaçar judeus em universidade dos EUA

Estudante é alvo de acusações federais por ameaçar judeus em universidade dos EUA

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
Um estudante de 21 anos da Universidade de Cornell, uma das mais prestigiadas dos Estados Unidos, foi detido pela polícia nesta terça-feira (31), acusado de ameaçar judeus em um fórum virtual.
Por meio de um comunicado conjunto, o Ministério Público Federal, FBI, polícia do estado de Nova York e o Departamento de Polícia da Universidade Cornell confirmaram que o universitário é alvo de investigação em uma queixa crime após ser relacionado entre os usuários que incitaram atos antissemitas na internet, inclusive com ameaças de atentados na instituição.
As mensagens do suspeito incluíam postagens pedindo a morte de judeus e ameaças de “atirar no 104 West”, um setor frequentado por estudantes de origem judaica, localizado próximo ao centro judeu da universidade. Ele teria dito que “levaria um rifle de assalto para o campus e atiraria em todos eles – judeus”, disseram as autoridades.
A polícia afirmou que as acusações podem acarretar uma pena de prisão de até cinco anos ao estudante, que deve comparecer nesta quarta-feira (1º) no tribunal federal de Syracuse, em Nova York.
O vice-presidente de relações universitárias da Universidade Cornell, Joel Malina, disse que o corpo universitário continua “chocado” com o ocorrido e “condena todas as ameaças antissemitas feitas dentro da instituição”.
O aumento do antissemitismo no ambiente estudantil chamou a atenção do governo americano, nos últimos dias.
A porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, fez um pronunciamento na segunda-feira (30), sinalizando que as autoridades estão “monitorando de perto” a situação e “medidas estão sendo tomadas” em todo o território para conter a onda de violência que se espalha no país após o início da guerra no Oriente Médio.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: Gazeta do Povo

Publicar comentário