×

Escolas judaicas são alvos de disparos no Canadá

Escolas judaicas são alvos de disparos no Canadá

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
Em mais um episódio de violência antissemita desde o início da guerra entre Israel e o grupo terrorista Hamas, duas escolas judaicas em Montreal, no Canadá, foram atingidas por disparos na noite de quarta (8) para quinta-feira (9).
Segundo informações da agência Associated Press (AP), funcionários das escolas identificaram buracos de bala no lado de fora dos edifícios quando chegaram para trabalhar pela manhã. Não houve feridos: os prédios estavam vazios no momento dos ataques, informou a polícia.
O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, criticou os ataques antissemitas em entrevista coletiva.
“Estamos vendo um aumento nas ameaças de violência [contra judeus]. Não somos assim como canadenses. Somos um país que se saiu melhor do que qualquer outro país na compreensão e respeito de diferentes perspectivas”, disse o premiê.
Na quarta-feira, Trudeau já havia alertado sobre o aumento de casos de antissemitismo e islamofobia no Canadá desde o começo da guerra. “Estamos vendo isso na TV todas as noites, estamos vendo isso em nossas mídias sociais e os canadenses estão sofrendo e clamando para que isso acabe”, declarou Trudeau à imprensa.
Segundo o jornal Montreal Gazette, nos últimos dias, duas instituições judaicas da Ilha Ocidental, também na província de Quebec, foram alvos de bombas e dispositivos incendiários foram deixados numa sinagoga em Montreal e num centro comunitário judaico próximo.
Na coletiva de Trudeau nesta quinta-feira, o primeiro-ministro de Quebec, François Legault, condenou esses atos e também um confronto entre grupos pró-Israel e pró-Palestina na Universidade Concordia, em Montreal, na quarta-feira.
“Não queremos ódio e violência em Quebec e não vamos tolerar isso. A mensagem deve ser clara: entendo que estamos vendo cenas horríveis na TV, mas temos que, em determinado momento, conseguir conversar uns com os outros com calma”, disse Legault.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: Gazeta do Povo

Publicar comentário