×

Com Barroso, CNJ aprova novo benefício que pode aumentar salário de juízes

Com Barroso, CNJ aprova novo benefício que pode aumentar salário de juízes

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou em outubro uma resolução que garante a equiparação de “direitos e deveres” de juízes e de integrantes do Ministério Público. Na prática, revelou o jornal Folha de S.Paulo, a norma abre caminho para a criação de novos penduricalhos no salário de magistrados de todo o país.
Na Justiça Federal, por exemplo, foi criado um benefício que pode aumentar a remuneração de juízes federais em 30% do salário bruto. Basta que acumulem funções administrativas ao trabalho de julgar. Em vez do dinheiro extra, eles podem optar por tirar dez folgas por mês. Caso prefiram a compensação financeira, não haverá imposto de renda sobre o valor.
Segundo a Folha, associações de juízes do trabalho, estaduais e militares já se mobilizam para obter as mesmas vantagens de que gozam procuradores que atuam nesses ramos do Judiciário. Na Justiça Federal, servidores que não são juízes também reivindicam melhorias.
A resolução foi aprovada por unanimidade em 17 de outubro e foi proposta pelo ministro Luís Roberto Barroso, que presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), também passou a comandar o CNJ. “No arranjo institucional brasileiro, não se admite situação de inferioridade da Magistratura em relação ao Ministério Público. A questão se afigura simples, de mero cumprimento do texto constitucional”, disse na ocasião.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: G Bahia

Publicar comentário