×

Moro cita presos políticos e pede vista sobre adesão da Bolívia ao Mercosul

Moro cita presos políticos e pede vista sobre adesão da Bolívia ao Mercosul

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
O senador Sérgio Moro (União-PR) pediu vista, nesta terça-feira (14), ao projeto de decreto legislativo (PDL 745/17) que contém o protocolo de adesão da Bolívia ao Mercosul. O texto está em análise na Comissão de Relações Exteriores do Senado Federal.
De acordo com o senador, o motivo do pedido se deve a “notícias de presos políticos na Bolívia: a ex-presidente Jeanine Anez e o ex-governador de Santa Cruz, Fernando Camacho”.
“A cláusula democrática exige que os membros do Mercosul preservem a democracia, o que é inconsistente com a suspeita de que o país mantém presos políticos. Precisamos refletir melhor sobre a situação da liberdade e da democracia na América Latina”, escreveu Moro.
A proposta,em análise no Senado, foi aprovada pela Câmara dos Deputados no dia 18 de outubro. O texto estabelece o protocolo de adesão da Bolívia ao Mercosul, assinado em 2015, no governo da ex-presidente Dilma Rousseff, em Brasília. Desde então, os trâmites ficaram estacionados e voltaram a ser retomados agora no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).
Para ser aceita como membro do bloco, a Bolívia precisa da concordância de todos os países integrantes (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai), com a respectiva aprovação pelos seus parlamentos.
Em julho deste ano, o presidente da Bolívia, Luis Arce, anunciou o apoio de Lula para acelerar a adesão do seu país ao Mercosul. “O camarada Lula se comprometeu a tomar as medidas necessárias para atingir esse objetivo (a adesão da Bolívia como membro pleno) e confiamos em que ele pode impulsionar isso o mais rápido possível, para que a Bolívia, de uma vez por todas, seja oficialmente parte do Mercosul”, afirmou na época.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: G Bahia

Publicar comentário