×

Rússia espalha desinformação para o Ocidente sobre a guerra no Oriente Médio, diz Microsoft

Rússia espalha desinformação para o Ocidente sobre a guerra no Oriente Médio, diz Microsoft

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
Durante sua participação no Fórum da Paz de Paris, na França, no sábado (11), o presidente da Microsoft, Brad Smith, fez um alerta contundente sobre a disseminação de desinformação pela Rússia em relação ao atual conflito no Oriente Médio, desencadeado após os ataques terroristas do Hamas contra Israel ocorridos em 7 de outubro.
Smith destacou que a Microsoft, juntamente com outras empresas do setor de tecnologia, está identificando campanhas orquestradas por Moscou, envolvendo conteúdos manipulados e alterados.
O foco da desinformação russa, segundo Smith, é direcionado especialmente para países do Ocidente, buscando atribuir a culpa do conflito no Oriente Médio aos Estados Unidos e direcionando essas narrativas às audiências ocidentais. O presidente da Microsoft revelou que atores baseados na Rússia estão utilizando Inteligência Artificial (IA) generativa para criar conteúdo multimídia mais sofisticado, a fim de manipular a percepção do público ocidental sobre o conflito.
Além disso, a Microsoft emitiu alertas sobre possíveis esforços de interferência mais sofisticados por parte da Rússia, Irã e China nas eleições presidenciais dos Estados Unidos em 2024, bem como em outras eleições ao redor do mundo. Nos últimos meses, a empresa observou atividades relacionadas ao Kremlin, incluindo propaganda e desinformação sobre a ajuda militar ocidental à Ucrânia, além de mensagens contra candidatos comprometidos com essa causa.
A Microsoft aponta também a expectativa de que o Irã intervenha de forma mais dirigida no ciclo eleitoral de 2024, enquanto a China intensifica suas atividades de influência. Brad Smith concluiu suas declarações alertando que, em 2024, vários estados autoritários podem buscar interferir nos processos eleitorais, combinando técnicas tradicionais com IA e outras novas tecnologias para ameaçar a integridade dos sistemas eleitorais das democracias ocidentais.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: Gazeta do Povo

Publicar comentário