×

Herói do campo: o fazendeiro que salvou 120 jovens que estavam no festival atacado pelo Hamas

Herói do campo: o fazendeiro que salvou 120 jovens que estavam no festival atacado pelo Hamas

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
Em um dia marcado pelo terror, quando centenas de jovens foram mortos e sequestrados por terroristas palestinos do Hamas que estavam invadindo naquele dia 7 de outubro o território de Israel, um homem se destacou pela sua coragem e compaixão.
Oz Davidian, um fazendeiro de 52 anos de idade que mora no vilarejo de Maslu, localizado em uma região próxima à fronteira israelense com a Faixa de Gaza, arriscou sua vida para resgatar 120 jovens que estavam tentando escapar da festa rave na região de Re’im, que foi alvo dos terroristas do Hamas que disparavam sem piedade e massacravam as pessoas.
Com sua caminhonete, Davidian fez cerca de 20 viagens entre o local da festa, cujo nome era Supernova, e as comunidades agrícolas onde ele deixava os sobreviventes que conseguia resgatar em segurança. Em cada trajeto, o fazendeiro mudava de rota para tentar evitar os terroristas, que controlavam a rota principal da região e atacavam tudo e todos que se moviam por lá.
As imagens da câmera do painel da caminhonete de Davidian, divulgadas nesta quarta-feira (15), mostram cenas chocantes de carros destruídos, corpos espalhados e tiros sendo disparados. “Terroristas! Cuidado!”, dizia Davidian aos que já havia resgatado e estavam junto a ele no carro. Em um momento, o fazendeiro encontra dois terroristas ao lado do corpo de um soldado israelense e quase é atingido pelos disparos realizados por eles.
“Foi um milagre que eu sobrevivi. Cada vez que eu entrava na área da festa, terroristas apareciam, atiravam em mim e se escondiam. Uma vez eu vi dois deles agachados no chão. Eu pensei que eram socorristas. Por sorte eu olhei de novo e vi que eles estavam carregando suas armas. Eles perceberam que eu era israelense e eu acelerei a caminhonete e atropelei os dois. Eu queria voltar para atropelá-los novamente, mas outros terroristas abriram fogo e eu fugi de lá”, disse Davidian nesta quinta-feira (16) em entrevista concedida ao site do Fórum de Defesa e Segurança de Israel (IDSF, na sigla em inglês), uma organização que reúne oficiais da reserva das Forças de Defesa de Israel.
Em sua jornada heroica, Davidian contou também que resgatou um oficial da reserva do Exército de Israel, que estava na festa e tinha em seu celular os locais onde outras pessoas estavam escondidas. Juntos, eles voltaram à área da festa, guiados pela fumaça preta que encobria a região, e viram “centenas de cadáveres por toda parte, na estrada e nos campos”, e “muitos carros – alguns queimados, alguns com as luzes piscando, e cadáveres com ferimentos de espingarda dentro dos carros”.
Segundo informações do jornal israelense The Times Of Israel, Davidian contou que os terroristas também estavam “estuprando as vítimas mulheres”.
“Um estava estuprando, outro estava atirando, protegendo o primeiro, observando-o estuprar. Você via pilhas de cadáveres, um em cima do outro, como se tivessem estado juntos e fossem apenas abatidos e caíssem uns sobre os outros no tiroteio”, disse ele.
Ele e o oficial registraram o nome de cada pessoa que pegaram e permitiram que cada uma ligasse rapidamente para seus familiares para dizer que estavam bem. Alguns dos jovens resgatados por Davidian aparecem nas imagens, abraçados e aliviados.
Davidian, pai de três filhos, só parou à meia-noite por alguns momentos para verificar se sua família, que estava no quarto seguro de sua casa, estava bem. Nesse momento, ele chegou a encontrar um amigo no portão de sua fazenda que tinha dois pais em seu carro que estavam procurando por seus filhos. Davidian então voltou à área da festa atacada para tentar procurá-los e dirigiu até as 7 horas da manhã do dia seguinte, mas não encontrou mais sinais de vida no local.
“Quando você vê centenas de jovens, mortos e feridos e fugindo para os campos e terroristas atirando em todas as direções, você coloca tudo de lado, o medo, a família, e você vai tirá-los de lá”, declarou o fazendeiro em entrevista concedida para a emissora israelense Channel 13.
Em entrevista à emissora israelense, a filha Davidian, Oriah, descreveu com orgulho a atitude de seu pai como um ato de heroísmo.
“Ele sempre foi meu herói”, disse ela.
Conforme relatou ao site da IDSF, desde os ataques do dia 7 de outubro Davidian segue ajudando as pessoas de seu país. Ele atua voluntariamente no resgate de animais de zonas perigosas e no transporte de suprimentos para os membros do Exército que estão enfrentando os terroristas do Hamas.
Davidian contou na entrevista à IDSF que se sente “triste e com raiva” pelo que aconteceu em Israel.
“É difícil falar sobre isso. Eu me engasgo, então eu tento falar o mínimo possível”, disse ele. “Mas eu faço entrevistas porque é importante para mim contar ao mundo o que aconteceu. Eu recebi muitas mensagens emocionantes daqueles que eu resgatei e de seus pais, no Facebook e no WhatsApp. Muitos deles estão abalados. É difícil para eles falar com alguém [sobre o que aconteceu] e eu sou a única pessoa em que eles confiam para mandar mensagens e conversar sobre o assunto. Um cara veio até mim com um presente – uma foto nossa, do resgate. Eu também recebi muitas mensagens de pessoas que eu não conheço”, afirmou ele ao IDSF.
260 jovens foram mortos na festa rave que ocorria na fronteira no momento em que os terroristas do Hamas invadiram Israel. Além das mortes, vários outros jovens foram levados como reféns pelos terroristas do Hamas para a Faixa de Gaza. O ataque do grupo palestino resultou na morte de 1,2 mil pessoas em Israel, deixou milhares de feridos e desencadeou uma nova crise humanitária no Oriente Médio.
Neste momento, Israel realiza uma contraofensiva na Faixa de Gaza com o objetivo de eliminar o Hamas e resgatar os 240 reféns que ainda estão sob o controle dos terroristas palestinos, que, segundo autoridades israelenses, se escondem sob hospitais e usam pessoas como escudo humano.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: Gazeta do Povo

Publicar comentário