×

Ibama restringe uso de agrotóxico Tiametoxam para proteger abelhas

Ibama restringe uso de agrotóxico Tiametoxam para proteger abelhas


Agricultores do Brasil estão proibidos de usar o químico em pulverizações, mas podem utilizá-lo direto no solo ou no tratamento de sementes. Produto está proibido na UE e sendo revisado nos EUA. Imagem de uma abelhas durante uma pulverização.
Divulgação/Prefeitura
O Ibama decidiu restringir o uso do agrotóxico Tiametoxam para proteger insetos polinizadores, principalmente as abelhas. A decisão foi publicada nesta quinta-feira (23), no Diário Oficial da União.
Com a medida, os agricultores ficam proibidos de usar o químico por meio de pulverizações, como na imagem abaixo.
Imagem de uma aplicação de agrotóxico por meio de uma pulverização.
Divulgação
Por outro lado, a aplicação direta no solo e em tratamento de semente está permitida.
No dia 2 de janeiro, o Ibama também proibiu outro agrotóxico para proteger as abelhas, o Fipronil, também conhecido por seus efeitos nocivos a estes insetos. Ele ficou conhecido, inclusive, como o “matador de abelhas”.
🐝O que é o Tiametoxam e o que causa nas abelhas? É um inseticida à base de nicotina que atinge as células do sistema nervoso central dos insetos, deixando-os desorientados e levando-os à morte.
Na UE e nos EUA…
Em maio de 2022, a União Europeia retirou o Tiametoxam da sua lista de substâncias aprovadas para uso agrícola, tornando, assim, seu uso proibido nos países europeus.
Já nos EUA, o registro do agrotóxico está sendo revisado.
Leia também:
Por que o Fipronil é chamado de ‘matador de abelhas’
Liberação de agrotóxicos caiu no Brasil em 2023, após sete anos seguidos de alta
Nova lei dos agrotóxicos: a repercussão entre ambientalistas, ruralistas e a indústria
Abelhas na produção de alimentos
As abelhas são fundamentais para a produção de alimentos, sendo que mais de 70% da polinização das espécies dessas plantas é feita por elas. É o caso, por exemplo, da maçã, do maracujá e do café.
Com o uso de abelhas nas lavouras, a produtividade e a qualidade dos cultivos aumentam.
Prazos para adequação
Segundo o Ibama, os produtos com Tiametoxam adquiridos até a data de publicação do comunicado poderão ser utilizados até o seu fim, conforme as especificações do rótulo e da bula que estavam definidas no momento que o produtor comprou o produto.
O Ibama também estabelece que, em um prazo de 180 dias, os fabricantes com Tiametoxam se adequem às novas normas no rótulo e na bula, deixando claro os riscos do material para insetos polinizadores.
A embalagem deve informar que “o produto é tóxico às abelhas” e que “a aplicação aérea não é permitida”.
Além disso, precisa especificar ainda que a “pulverização foliar não dirigida ao solo ou às plantas, ou seja, aplicações em área total, não é permitida”.
O agricultor também não vai poder aplicar o Tiametoxam em época de floração, nem imediatamente antes do florescimento ou quando for observada visitação de abelhas na cultura.
De onde vem o Maracujá
source
Fonte: G1

Publicar comentário