×

Com oposição de fachada, regiões remotas da Rússia abrem votação que deve garantir permanência de Putin no poder

Com oposição de fachada, regiões remotas da Rússia abrem votação que deve garantir permanência de Putin no poder

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
Algumas regiões remotas da Rússia e áreas ocupadas da Ucrânia começaram a votar antecipadamente nas eleições presidenciais do país, marcadas oficialmente para março, período no qual ocorre grande parte da votação.
Os eleitores russos que não estão localizados em zonas remotas do território ou que não votam por correspondência terão entre os próximos dias 15 a 17 para escolher seu candidato à chefia do Kremlin. Essa será a primeira vez em que uma eleição presidencial terá duração de três dias no país.
Apesar da grande mobilização gerada para o pleito, o atual presidente russo, Vladimir Putin, deve ser reeleito em seu sexto mandato, após eliminar opositores que poderiam colocar em risco sua permanência no poder, como Boris Nadezhdin, candidato que defendia o fim da invasão a Kiev e teve a candidatura vetada pela Comissão Eleitoral Central (CEC) da Rússia por “erros de assinatura”.
De acordo com a agência de notícias estatal TASS, aproximadamente 70 mil pessoas de áreas remotas do Distrito Federal do Extremo Oriente da Rússia podem participar da votação antecipada. A região representa mais de um terço do território total do país, mas tem apenas cerca 5% da sua população.
Uma das áreas anexadas da Ucrânia, Zaporizhia, abriu a votação neste domingo (25), logo após a invasão a Kiev completar dois anos.
Em 2020, Putin emplacou uma polêmica reforma constitucional que permitiu sua permanência no poder por mais dois mandatos de seis anos cada, até 2036.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: Gazeta do Povo

Publicar comentário