×

Lula deve se encontrar com Maduro durante viagem para cúpula da Celac

Lula deve se encontrar com Maduro durante viagem para cúpula da Celac

Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deve se reunir nesta semana com o ditador da Venezuela, Nicolás Maduro. O encontro bilateral deve acontecer em São Vicente e Granadinas, no Caribe, onde ocorrerá a 8ª Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac). Entre os temas discutidos por Maduro e Lula devem estar as próximas eleições presidenciais venezuelanas e a disputa pela região de Essequibo.
A nova viagem oficial do petista terá início nesta quarta-feira (28), em Georgetown, capital da Guiana, onde ele participará do encerramento da 46ª Cúpula do Mercado Comum e Comunidade do Caribe (Caricom). A reunião com Maduro ainda não foi oficializada, mas a expectativa é de que o encontro ocorra no primeiro dia da Celac, na sexta-feira (1º).
Lula deve tratar com Maduro sobre a transparência das eleições presidenciais venezuelanas, motivo de tensão no país vizinho. Em outubro do ano passado, a Venezuela assinou o Acordo de Barbados e concordou em libertar presos políticos e em organizar eleições democráticas em segurança em 2024. No entanto, o Supremo Tribunal de Justiça (TSJ) venezuelano, que é alinhado ao regime chavista de Maduro, confirmou que María Corina Machado, candidata da oposição, não poderá participar de eleições pelos próximos 15 anos.
Além disso, a ativista política e presidente da ONG Controle Cidadão (da sigla em espanhol, Control Ciudadano), Rocío Del Carmen San Miguel Sosa, foi presa sob acusação dos crimes de “traição”, “terrorismo” e “conspiração”. A ditadura venezuelana também ameaça anexar a região de Essequibo, que pertence a Guiana. A disputa pelo território entre os dois países já dura mais de um século.
Máximo de 700 caracteres [0]
Apenas assinantes podem salvar para ler depois
Saiba mais em Minha Gazeta
Você salvou o conteúdo para ler depois
As notícias salvas ficam em Minha Gazeta na seção Conteúdos salvos. Leia quando quiser.
Encontre matérias e conteúdos da Gazeta do Povo
Carregando notificações
Aguarde…
Os recursos em Minha Gazeta são exclusivos para assinantes
Saiba mais sobre Minha Gazeta »

source
Fonte: G Bahia

Publicar comentário